sexta-feira, 31 de dezembro de 2010


O verão está chegando: Hora de se proteger

O verão está chegando! A partir de hoje vou elaborar posts com cuidados, dicas, tudo que envolva proteção solar. Afinal, não há maquiagem que caia bem se a pele estiver manchada ou com acne.

Mulher vaidosa que se preza está cansada de saber que o protetor solar é ítem indispensável na necessaire de qualquer mulher, mesmo nas outras estações e nos dias nublados. Porém, o jeito certo de usar o produto é essencial para garantir um bom efeito e uma cor bonita, uniforme e digna de suspiros (de admiração e de inveja). Para que você tenha o melhor bronzeado da sua vida, leia com atenção algumas dicas:

Mito ou verdade?

O protetor corporal pode ser usado na face.

Mito. Podem ocorrer problemas estéticos. As substâncias fotoprotetoras são basicamente as mesmas, o que tende a variar é o veículo, ou seja, a base onde os protetores são misturados:  creme, gel, gel-creme, fluido. Quanto mais gordura tiver o veículo, mais ele gruda na pele. Alguns produtos comercializados para o corpo, como aqueles para a prática de exercícios, são mais gordurosos e, se aplicados na face, podem produzir acne.

Os protetores com base ou tonalizantes são mais eficazes.

Verdade. Eles têm na fórmula filtros físicos, o que melhora o efeito da proteção, e oferecem maior aderência à pele, porém costumam ser mais gordurosos. Esses produtos são ótimos para quem sofre de manchas e melasma. A cor forma uma barreira física.
O bronzeado dura mais se a exposição for gradual.

Verdade. O bronzeado verdadeiro surge entre o 5º e o 7º dia de sol e dura mais se a exposição for gradual, cerca de uma ou duas horas por dia. A explicação está no tempo em que a melanina leva para ficar visível sob a pele e no ciclo de troca cutânea, que é de 21 dias.

Os protetores com FPS 30 ou mais são os mais seguros.

Verdade. A princípio, todos os protetores atuam 100%, de acordo com seu fator de proteção solar. Os produtos com FPS em torno de 30 têm uma relação aplicação/tempo de proteção mais adequada. Aquela informação de que "vou usar um protetor com FPS mais baixo porque quero bronzear um pouquinho" não procede, pois após determinado tempo a pessoa estará desprotegida e, sua pele, sob os efeitos danosos da irradiação ultravioleta. Um fotoprotetor FPS 15 bloqueia 93% de todos os raios UVB. Um FPS 30 bloqueia 97%, e um FPS 50 bloqueia 98%. Essas diferenças podem parecer insignificantes, mas se você tem um histórico de câncer de pele, essas porcentagens extras vão fazer a diferença.
Não é preciso aplicar protetor solar nas orelhas e nas axilas.

Mito. As orelhas representam um local de grande incidência de câncer de pele e muitas vezes são esquecidas na hora de se aplicar o protetor solar. Toda a superfície corpórea deve ser protegida, mesmo que a palma da mão tenha uma camada externa de pele espessa e raramente sofra queimadura solar.
Uma pele bem hidratada ou autobronzeada sofre em menor intensidade os efeitos do sol.

Mito. O uso dos hidratantes fortalece a integridade cutânea e promove a obtenção e manutenção de uma pele livre de ressecamentos, asperezas e descamações, mas não garante proteção contra os raios UV. O autobronzeador só protege caso seja associado a um protetor solar.

Compre bem

Há muitas opções nas prateleiras dos supermercados, perfumarias e farmácias. Na hora de escolher um protetor solar, siga estas dicas:

Corporal

Facilidade para espalhar é fundamental. Procure um protetor líquido para deslizar mais facilmente na sua pele;
Quem pratica esportes precisa de um produto com boa aderência;
Versões em spray devem ser aplicadas em uma quantidade maior.

Facial

Verifique se o produto é mesmo para o rosto;
Aanalise o veículo - creme, gel ou sérum. Aa textura em gel é a melhor para as peles oleosas, enquanto os cremes funcionam bem nas ressecadas. Os séruns são fluidos e podem se adaptar a todo tipo de pele;
Veja se o produto é comedogênico;
Na dúvida, opte por aquele que tem substâncias antioxidantes.

Ambos

Verifique no rótulo se ele informa o valor de PPD, sigla de Persistent Pigment Darkening, que é uma medida da capacidade de um protetor solar evitar danos causados pela radiação UVA. O valor de FPS indica a proteção anti-UVB, e o valor de PPD indica a proteção anti-UVA. Um estudo feito nos EUA em 2009 indica que o PPD tem de ser 30 ou mais.

Cada tom, uma proteção

Pessoas claríssimas devem evitar longos períodos ao sol, já que apresentam envelhecimento solar precoce e maior incidência de melanoma. Vitaminas com fotoprotetores orais são de grande ajuda, bem como consultar o dermatologista a cada seis meses para exame de manchas.

Morenas claras são mais propensas a manchas e melasmas. "O uso de protetor pode ser decrescente, começando no FPS 60 e descendo para o 40 e o 30 nos dias subsequentes para obtenção de um bronzeado seguro", sugere Gabriela Casabona.

Morenas escuras e mulatas têm proteção natural quase total, mas devem usar filtros solares associados a hidratantes, já que o vento e o sol causam ressecamento, o cloro acarreta danos e o sal resseca a pele.

Negras nasceram premiadas, com uma maior quantidade de um determinado tipo de colágeno. Mesmo assim, devem usar protetor solar com FPS 30.

Orientais têm pele clara, mas ela se comporta como uma pele morena e mancha com facilidade. Cuidado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário